Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Avaliação inédita mostra que Mais Educação não impactou notas de estudantes


Não houve impacto – a curto prazo – do programa Mais Educação nas notas dos estudantes de instituições que participaram da iniciativa, revelou uma avaliação inédita divulgada nesta segunda-feira durante o 12º Seminário Itaú Internacional de Avaliação Econômica de Projetos Sociais, em São Paulo.
No evento, propostas e modelos de educação integral foram discutidos por especialistas nacionais e internacionais. O programa Mais Educação é uma iniciativa do governo federal que amplia a jornada escolar com foco para a Educação Integral.
O levantamento, realizado pela Fundação Itaú Social e pelo Banco Mundial, comparou o desempenho dos alunos em língua portuguesa e matemática na Prova Brasil e também as taxas de abandono escolar entre 2,7 mil escolas que aderiram ao programa e instituições que não eram integrantes do Mais Educação, mas com características semelhantes, como número de alunos e notas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

— Notamos que, naquelas que aderiram ao programa, não ocorreram os efeitos positivos esperados e, no caso de matemática, houve até diminuição das notas a curto prazo — revelou Naercio Menezes Filho, professor do Instituto de Ensino e Pesquisa da USP que apresentou os dados no evento.
Para tentar compreender o resultado da avaliação, realizada entre 2008 e 2011, os pesquisadores também fizeram estudos de seis casos: quatro redes municipais, uma estadual e no Distrito Federal. O olhar mais qualitativo da falta de efeito nas notas em colégios com educação integral, que é conceituada pela ampliação de tempo, espaço e conteúdo na instituição, detectou uma dificuldade por parte das direções de se alinharem com o programa a pouco prazo.
– A escola precisa redimensionar suas ações em um curto espaço de tempo e isso acaba gerando desorganização. Há uma fase de alinhamento com o Mais Educação que é gradual. Por outro lado, as secretarias de educação precisam direcionar o seu papel para potencializar resultados positivos do programa – ressaltou Karen Dias Mendes, gestora da área de avaliação da Fundação Itaú Social que participou da pesquisa.



Fonte: Zero Hora (RS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário