Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Ação anti-Aedes esteve em 79% das casas no país, diz ministro da Saúde.

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse nesta segunda-feira (29) que a ação contra focos do mosquito Aedes aegypti esteve presente em 79% dos domicílios urbanos brasileiros. A meta do governo federal era visitar 100% das casas até o fim de fevereiro. A ação foi efetiva em 64% dos casos. Em 15% dos lares do país, não havia ninguém na residência.  
Segundo o ministro, a prioridade é estar presente nas capitais e nas cidades com mais de 50 mil habitantes com incidência de dengue igual ou maior a 100 casos por 100 mil habitantes, entre novembro e dezembro de 2015. 
De acordo com o ministro, não há prazo para que todas as residências sejam inspecionadas. Castro diz que as ações são de responsabilidade de estados e municípios.

“Vários estados já conseguiram visitar 100% das residências. Nos que não fecharam, estamos estimulando, ligando e permanentemente cobrando e exigindo [das salas estaduais criadas para monitorar o avanço das doenças relacionadas ao Aedes].

As visitas podem ser feitas por agentes comunitários de saúde, membros do Exército ou da Polícia Militar, por exemplo. Em dezembro passado, o governo tinha estabelecido que visitaria todos os imóveis até o fim de janeiro. Ao fim do primeiro prazo, o secretário-executivo do ministério, Neilton Oliveira, negou que a meta tenha sido descumprida. “Não há insegurança e não há nenhum atraso. A gente está tranquilo”, disse. “A prioridade não é matar o mosquito. É não deixá-lo nascer.”



Fonte: G1

Garotos E.C vence amistoso contra a equipe da CAERN de Tangará.


Na última sexta feira dia 26 de Fevereiro, a equipe Garotos E.C disputou um amistoso de futsal com a equipe da CAERN de Tangará – RN no ginásio poliesportivo.         Foi um jogo fantástico onde as duas equipes jogaram muito bem e tiveram inúmeras oportunidades de fazer gols. O placar do jogo reflete a bela partida.


Placar: Garotos E.C  09  x  06 Caern Tangará


Pela equipe da Caern Tangará marcaram, Herson(01), Claúdio(01) Daniel(01), Thiago(03).

Pela equipe Garotos E.C marcaram, Ailton Wheber(03), Orlando(02), Patricio(01) Tito(01), Gilvan(02)

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Número de mortes por escorpião no Brasil dobrou na última década.

 

O número de mortes por escorpião cresceu 164% na última década no País. Foram 45 casos registrados em 2005 contra 119 mortes relatadas em 2015, ano em que os escorpiões mataram, em números absolutos, mais gente que as cobras. Entretanto, na lista de picadas que levam à morte, as cobras ainda são responsáveis por mais mortes quando o assunto é letalidade.
O cálculo da letalidade é feito a partir da divisão do número de mortes pelo número de acidentes. O índice de letalidade dos escorpiões é de 0,1, enquanto das cobras é de 0,4. De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2015, foram registrados 74.598 mil casos de picadas e 119 mortes por escorpião contra 24.467 acidentes e 107 óbitos por picada de cobra.
Carlos Roberto de Medeiros, médico e diretor do Hospital Vital Brazil, do Instituto Butantan, afirma que o aumento no número de acidentes e mortes por escorpião tem mais de uma justificativa. Para ele, há também um aumento nas notificações.

— Além do aumento de casos de picadas e óbitos por escorpião, mais pessoas tem notificado os acidentes. O aumento nesse número pode ser explicado com o crescimento da população e a ocupação desordenada dos espaços urbanos. Não são apenas os bichos que estão simplesmente invadindo. É preciso analisar as condições sócioeconômicas também.
O diretor explica que o maior número de acidentes acontece quando há o contato com o escorpião-amarelo. Essa espécie encontrou nas cidades um ambiente perfeito para viver e se reproduzir.

— Ele se reproduz por meio de partenogênese [que não precisa do macho para se reproduzir]. O escorpião encontrou nos centros urbanos abrigo como esgotos e entulhos, além de uma farta oferta de baratas, insetos com os quais se alimentam.
Para Medeiros, a mesma coisa acontece com o número de acidentes por picadas de cobras.

— Há uma maior ocupação das áreas de florestas. Quando invadem essas áreas, os bichos têm que ir para algum lugar, o que faz aumentar o contato com os seres humanos.

 

 

Fonte: R7



Trabalho em adutora deixa 30 cidades do RN sem abastecimento d'água.


A Estação EB 01 da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), responsável pelo bombeamento da água para adutora Monsenhor Expedito, vai passar por trabalhos de prevenção na segunda-feira (29), no período das 8h às 18h, instalada no município de Nísia Floresta. Por esse motivo, o fornecimento de água fica comprometido para 30 cidades e comunidades rurais atendidas no percurso da adutora. A previsão para regularizar o abastecimento é a partir da noite da segunda-feira, de forma gradativa, até 48 horas após o funcionamento das bombas.
A adutora Monsenhor Expedito tem 330,7 km de extensão, capta água na lagoa do Bonfim e nos sete poços instalados na respectiva margem. O gestor da Unidade de Operação de Água da Regional Litoral Sul, Dídimo de Oliveira Dantas, considera a prevenção a melhor forma de evitar paradas repentinas no sistema, e no caso da EB1, que para os técnicos é o “coração” da adutora, a atenção precisa ser redobrada.
As cidades atendidas pela adutora Monsenhor Expedito são Lagoa de Pedras, Lagoa Salgada, Boa Saúde, Serrinha, São José de Campestre, Lagoa D’Anta, Passa e Fica, Serra Caiada, Senador Elói de Souza, Tangará, Santa Cruz, Bom Jesus, São Pedro do Potengi, Ielmo Marinho, São Paulo do Potengi, Santa Maria, Lagoa de Velhos, Barcelona, Rui Barbosa, São Tomé, Sítio Novo, Lajes Pintada, Serra de São Bento, Monte das Gameleiras, São Bento do Trairi, Coronel Ezequiel, Japi, Campo Redondo, Monte Alegre e Jaçanã.
  



Fonte: G1 RN

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Anderson Silva tem última chance de redenção de seu legado no UFC.

 

Era difícil de imaginar que Anderson Silva chegaria a um combate com um hiato de três anos e meio sem um resultado positivo. Mas a luta contra Michael Bisping, neste sábado, em Londres, vale mais que o retorno à coluna da vitória. O brasileiro tem a última chance de encontrar uma redenção digna para que seu final de carreira corresponda ao legado que construiu no UFC.
Anderson ainda é o maior campeão que o Ultimate já teve, com 10 defesas consecutivas de cinturão, tem a maior série invicta da história do evento (16 lutas seguidas) e o maior número de bônus da noite (luta, nocaute ou finalização), com 12. Isso sem falar do maior salário declarado – US$ 800 mil, sem contar bônus ou participação em venda de pay-per-view.      
Mas todo esse retrospecto está em risco de cair no esquecimento rapidamente ou de ficar cada vez mais sombrio. Depois de tantos shows que fizeram ele se tornar o maior nome do evento, Anderson vem de uma derrota (para Chris Weidman), uma gravíssima fratura na perna e um caso de múltiplos flagrantes de doping no ano passado contra Nick Diaz. Não é pouca coisa para um personagem que chegou a ser apontado como imbatível.      
Claro que ainda vai continuar sendo “o Anderson Silva” mesmo se perder para Bisping diante de uma multidão inglesa, mas seria mais um arranhão em seu legado.       
Ele entra no octógono pressionado, só que leve. Demonstrou nos últimos dias que não está carregando o peso de quando era campeão. Antes das duas lutas contra Weidman, e mesmo para enfrentar Nick Diaz, estava taciturno, longe do expansivo Spider que vimos em anos anteriores. Como já falamos aqui no blog nesta semana,essa felicidade pode ser um enorme problema para Bisping.
O palco e o rival para que essa redenção são perfeitos. Anderson tem história em Londres – lutava e era campeão do evento inglês Cage Rage antes de ir para o UFC – e adora lutar contra a torcida. Já o adversário joga aberto, anda para frente e aposta sempre na trocação. OU seja, seu estilo casa bem com o do brasileiro.    
Em resumo: atuação de Anderson Silva neste sábado definirá que ele pode voltar a sonhar com o cinturão – algo que vem falando nos últimos tempo – ou terá um final melancólico para uma carreira tão vitoriosa.
compartilhe
vídeos relacionados

 

 


Fonte: Uol

Servidores do RN receberão salário de fevereiro nos dias 3 e 4 de março.



O pagamento dos salários de fevereiro do funcionalismo estadual do Rio Grande do Norte será realizado nos dias 3 e 4 de março. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (26) pela Secretaria de Planejamento e Finanças (Seplan).
Ainda segundo a secretaria, aposentados e pensionistas do estado terão os vencimentos depositados no dia 3. Já o salário dos ativos, será creditado no dia seguinte. “A medida é necessária diante do impacto provocado pela crise econômica nos estados mais dependentes das transferências federais, como é o caso do Rio Grande do Norte e de outros 16 estados da federação”, justificou a Seplan.

“O Governo tem trabalhado em todas as frentes para honrar seus compromissos, priorizando o pagamento dos servidores. As dificuldades continuam em virtude da crise econômica, mas nossa equipe está focada no ajuste fiscal iniciado em 2015 e na criação de alternativas que recoloquem o Estado no caminho do equilíbrio fiscal”, declarou o secretário Gustavo Nogueira por meio de sua assessoria de comunicação.



Fonte: G1 RN
Capes garante a continuidade de programa para iniciação à docência.

Em nota divulgada ontem (25), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) assegurou a continuidade do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). A autarquia acrescenta que o programa está em análise "para garantir que o programa atenda a mais escolas de educação básica, principalmente as que mais necessitam".  
O programa oferece bolsas para que alunos de licenciatura atuem dentro das escolas públicas, com a orientação de um docente, de forma a fortalecer a formação dos futuros professores e incentivá-los a lecionar no ensino básico, seja na educação infantil, no ensino fundamental ou no ensino médio. O Pibid prevê bolsas mensais de R$ 400 para estudantes de licenciatura; de R$ 765 para professores supervisores, que devem acompanhar pelo menos cinco estudantes; e de R$ 1.400 para coordenadores.      
Em audiência no Senado, a presidenta do Fórum Nacional do Pibid, Alessandra Santos, disse que medida adotada pela Capes que previa o cancelamento do contrato de bolsistas que completavam 24 meses no programa impedia a renovação de bolsas que vencem na próxima semana, levando ao corte de 45 mil bolsas, que correspondem a 50% do total.     
O secretário de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Jesualdo Pereira Farias, disse que o governo nunca teve intenção de extinguir ou reduzir o programa e que a medida seria suspensa. A intenção, segundo o secretário, é redirecionar o foco do Pibid para escolas cujos estudantes obtiverem notas mais baixas nas avaliações do MEC.   
Atualmente, cerca de 90 mil bolsistas estão fazendo estágio em 5,8 mil escolas públicas.



Fonte: Agência Senado

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Conta de luz deixará de ter cobrança extra a partir de abril, diz ministro.


A conta de luz dos brasileiros deixará de ter a cobrança extra a partir de abril, afirmou nesta quinta-feira (25) o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. Segundo ele, a conta passará a ter bandeira verde.           A medida deve gerar uma redução de 6 a 6,5 pontos percentuais nas tarifas de energia, de acordo com o governo.      O valor da conta pode cair já no mês que vem. De acordo com o ministro, em março passará a vigorar a bandeira amarela, que representa um acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 kW/h consumidos.
Em fevereiro, a conta de luz estava com adicional R$ 3 para cada R$ 100 kW/h.
Segundo o ministro, o Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico decidiu, em reunião extraordinária nesta quinta-feira, que serão desligadas mais 15 usinas térmicas devido à melhora dos reservatórios das hidrelétricas. Isso deve reduzir os custos para as geradoras de energia.    
A medida é complementar a anúncio feito no início de fevereiro, quando foi decidido o desligamento de 2.000 megawatts com custo de geração mais alto. 
O desligamento das térmicas deve gerar uma economia de R$ 8 bilhões para o governo, segundo cálculos da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)


Usinas térmicas   

 

Quando há pouca chuva, o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas cai, o que diminui a produção de energia. Para compensar essa queda, o governo manda acionar usinas termelétricas, a carvão, que são mais caras. É o que acontece no país desde 2013.

Desde janeiro de 2015, as contas são acrescidas de uma cobrança extra, chamada de bandeira vermelha, para compensar gastos mais altos para gerar energia.




Fonte: Reuters

Receita libera programa do Imposto de Renda 2016.



A Secretaria da Receita Federal liberou nesta quinta-feira (25) o "download" do programa do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2016, ano-base 2015. Por volta das 8h20, no entanto, o site apresentava lentidão.       
O programa liberado nesta quinta é apenas para uso em computadores. O aplicativo para tablets e smartphones vai estar disponível somente a partir de 1º de março.  
Depois de baixar o programa, os contribuintes podem começar a preencher suas declarações, mas só vão poder enviar os documentos ao Fisco a partir de 1º de março.      
Também será possível declarar o IR diretamente na página da Receita Federal (com certificado digital) no processo que é conhecido como "online." Mas este serviço também só será liberado em março. As empresas têm de entregar o comprovante de rendimentos até a próxima segunda-feira (29).

"A Receita Federal sempre recomenda o cuidado para que o contribuinte faça a declaração uma vez só, principalmente aquele que tem restituição. Se entregar a declaração errada e tiver de retificar, acaba recebendo a restituição mais tarde", afirmou o supervisor nacional do Imposto de Renda da Receita Federal, Joaquim Adir. Ele recomendou cuidado para não esquecer de colocar todos os rendimentos na declaração do IR.

Obrigatoriedade e fim do prazo
Neste ano, o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda termina em 29 de abril. Se o contribuinte entregar depois do prazo ou não declarar, caso seja obrigado, poderá ter de pagar multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido, ou uma multa mínima de R$ 165,74. O Fisco espera receber 28,5 milhões de declarações em 2016.
Deve declarar IR neste ano o contribuinte que recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.123,91 em 2015. De acordo com a Receita Federal, também estão obrigados os contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado, entre outros.

Rascunho do IR   

A Receita Federal esclareceu que, com a liberação do programa do IR nesta quinta-feira, a funcionalidade de fazer o "rascunho" da declaração não poderá mais ser utilizada para lançar operações. Neste caso, será permitida apenas a importação de dados já lançados anteriormente. Novas informações poderão ser incluídas diretamente na declaração do IR 2016.

Restituição do Imposto de Renda      

Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, também recebem mais cedo as restituições – caso tenham direito a ela. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade. Os valores normalmente começam a ser pagos em junho pelo governo e seguem até dezembro, geralmente em sete lotes.

NOVIDADES DA DECLARAÇÃO  

Veja abaixo as principais novidades para os contribuintes na declaração do IR deste ano. 


Médicos e profissionais liberais

Uma das principais novidades da declaração do IR deste ano é a obrigatoriedade de os médicos, odontólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e advogados autônomos informarem o CPF das pessoas físicas para as quais prestaram serviços no ano passado e o valor.     
Até o ano passado, o CPF não era requerido. O Fisco solicitava, até 2015, somente o valor total mês a mês.



Fonte: G1

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Agricultores familiares comercializam produção em feiras agroecológicas.


Uma diversidade de produtos de origem animal e vegetal, natural e manufaturados, estará à disposição do público na Feira da Agricultura Familiar, uma ação do Governo do Estado, através da Emater-RN. O lançamento será amanhã (25 de fevereiro), no município de Nova Cruz, agreste potiguar, amanhã (25 de fevereiro) - a primeira de outras 20 que serão realizadas em diversas localidades da região nas próximas semanas. A feira acontecerá na rua 1º de Maio, centro de Nova Cruz, a partir das 6 horas. A solenidade de lançamento está prevista para começar às 8h, com a presença de representantes da Emater-RN, do prefeito Cid Arruda e demais autoridades.


A iniciativa dinamizará a economia local com a geração de ocupação e renda para os pequenos produtores e pescadores, além de oferecer ao público produtos alimentícios de qualidade, de cultivo orgânico.     
As feiras agroecológicas são realizadas em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), prefeituras municipais, sindicatos rurais, Banco do Nordeste, Terrasul e UFRN.     
O investimento total no projeto das Feiras da Agricultura Familiar é de R$ 305 mil, prodecente do Programa de Apoio à Infraestrutura nos Territórios Rurais (Proind), do MDA. 
Segundo o gestor regional da Emater-RN em São José de Mipibu, extensionista rural Lucivaldo Vieira, essa ação tem diversos objetivos. Entre outros, ele destaca: incrementar a participação dos produtos da agricultura familiar e dos pescadores no mercado local, dar visibilidade e criar novas formas de comercialização, promover práticas de associativismo, ampliar a participação da produção em outros mercados interterritoriais e agregar valor à produção local evitando a ação de intermediários.      
Lucivaldo Vieira ressalta que, na área de abrangência de sua região, o projeto contempla 20 municípios. Para facilitar o trabalho dos agricultores nessas feiras, foram entregues 300 barracas padronizadas, 100 balanças, 600 caixas para transporte de mercadorias e 100 bombonas plásticas.
Todos os alimentos expostos na Feira Agroecológica são procedentes das cadeias produtivas cuja assistência técnica é de responsabilidade dos extensionistas rurais da Emater-RN que, também, coordenam esses eventos. Os produtos de origem vegetal, por exemplo, são isentos de qualquer tipo de agrotóxico e adubo químico.    
Quem visitar as feiras agroecológicas, encontrará produtos “in natura” e manufaturados de origem animal (carnes e ovos) e vegetal, como hortaliças (coentro, cebolinha, alface, couve); raízes (beterraba, cenoura, cebola branca); frutas regionais frescas (coco, manga, caju, acerola, cajá, umbu). Também serão comercializados gêneros alimentícios derivados da mandioca, batata e macaxeira (bolos, beijus, doces), do leite (queijo e manteiga) e tantas outras delícias.

Agroecologia - A agroecologia é uma alternativa ao modelo convencional de agricultura que, ao longo dos anos, tornou-se insustentável devido ao uso intensivo do solo, à monocultura, à aplicação indiscriminada de fertilizantes inorgânicos e de pesticidas, dentre outros fatores, que retiraram e degradaram os recursos naturais. Em contraste com essa agricultura convencional, a agroecologia representa na prática um modelo viável de produção animal e vegetal, baseado em tecnologias que atendem aos princípios de produtividade, rentabilidade e qualidade do produto além de considerar sobremaneira os aspectos socioambientais.



Fonte: Assessoria de Comunicação / Emater-RN


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Bola de fogo' explode sobre Atlântico a mil quilômetros da costa do Brasil.

 

 

O maior meteoro já visto desde o que atingiu a cidade russa de Chelyabinsk há 3 anos entrou na atmosfera da Terra sobre o oceano Atlântico – perto do Brasil.
O evento, que só foi divulgado agora, ocorreu às 11h55 do dia 6 de fevereiro.
Ao queimar-se na atmosfera, a rocha espacial liberou o equivalente a 13 mil toneladas de TNT.
Esse é o evento mais grandioso do gênero desde o ocorrido em Chelyabinsk, em 15 de fevereiro de 2013. O meteoro que atingiu a região liberou 500 mil toneladas de TNT.
Mais de mil pessoas foram feridas na ocasião – a maioria atingidas por estilhaços de vidro de janelas.

Costa brasileira   

Já a bola de fogo sobre o Atlântico provavelmente passou despercebida. Ela se desintegrou a cerca de 30 quilômetros sobre a superfície do mar, a 1000 quilômetros da costa brasileira.
A Nasa listou o acontecimento em uma página de internet que relata a ocorrência de meteoros e bolas de fogo.
Cerca de 30 pequenos asteroides (que medem entre 1 e 20 metros) entram na atmosfera da Terra anualmente, segundo pesquisas científicas.
Como a maior parte da superfície terrestre é coberta por água, maioria deles cai nos oceanos e não afeta áreas habitadas.

 

 

Fonte: BBC



MasterCard passará usar selfies para validar compras online.


A empresa de cartão de crédito MasterCard anunciou que vai passar a aceitar selfies e impressões digitais como alternativa às senhas em pagamentos online.
A tecnologia de verificação de identidade deve ser lançada no segundo semestre de 2016 no Reino Unido, EUA, Canadá, Holanda, Bélgica, Espanha, Itália, França, Alemanha, Suíça, Noruega, Suécia, Finlândia e Dinamarca. Não há previsão para a chegada da solução no Brasil.
Segundo a MasterCard, 92% das pessoas que testaram a tecnologia preferiram o novo sistema de autenticação. "Senhas são um empecilho", afirmou Ajay Bhalla, presidente da divisão de Safety and Security da empresa. "Elas são extremamente fáceis de esquecer, desperdiçam nosso tempo e não são realmente seguras. A biometria está transformando as transações online tão seguras e simples quanto compras presenciais".
O uso do novo recurso estará vinculado a um aplicativo, que deve ser baixado em um PC, tablet ou smartphone. 
No ato da compra, os usuários ainda terão de fornecer os dados de cartão de crédito. Mas para a autenticação da transação, será necessário ainda que eles olhem para a câmera ou usem o sensor de impressão digital do dispositivo em vez de digitar a senha, como atualmente é feito.
Se o usuário optar por um selfie, eles terão que piscar para câmera para provar que não estão apenas segurando uma foto.


Fonte: Uol

domingo, 21 de fevereiro de 2016

O que aconteceu com Gija?




O ex-prefeito Gija não quis ouvir a voz da população tangaraense nesse domingo em entrevista concedida na FM Tangará, durante anos o ex-prefeito apresentou seu programa na rádio com o telefone aberto e sempre fez questão de dizer que se não tivesse a voz da população não apresentava o programa. Dessa vez as coisas foram diferentes, mesmo a população tendo diversas perguntas a serem feitas sobre a atual gestão.  
O fato não deve ser encarado com espanto, pois nessa administração muito se fala e pouco se ouve.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Mais um capítulo? R. Oliveira e Prass pregam paz, mas ressaltam rivalidade.



Um desentendimento ainda em julho do ano passado resultou em uma troca de farpas constante entre Ricardo Oliveira e Fernando Prass. Sete meses depois e com ânimos mais calmos, o atacante do Santos e o goleiro do Palmeiras voltarão a ficar frente a frente neste sábado, em clássico válido pelo Campeonato Paulista. 
Apesar de fazerem questão de colocar ponto final nas rusgas do ano passado, os jogadores ressaltam que a rivalidade histórica entre os clubes continua intacta. Ricardo Oliveira alega que não ficou com ressentimentos por causa das provocações dos atletas do Palmeiras após o título da Copa do Brasil, conquistado pelos palmeirenses na decisão por pênaltis no Allianz Parque no final do ano passado.     
Apesar de residir no mesmo condomínio do goleiro Fernando Prass, um de seus principais desafetos na temporada passada, Ricardo Oliveira diz que a polêmica com o goleiro "faz parte do passado" e não acredita em clima hostil no clássico deste sábado.

"Não (conversei com o Fernando Prass). Vocês podem esperar dois profissionais defendendo seus clubes, ambos querendo ganhar. Nada mais que isso. Jogo de futebol que não se deve criar outra expectativa a não ser a de um grande jogo. Completamente superado. Sem ressentimentos. Faz parte do passado. Se intensificou um pouco mais por muitos jogos, normal, clássico com mais de 100 anos de rivalidade. Algo normal que acontece. Esperamos que um grande jogo de futebol prevaleça", afirmou o atacante.
Em entrevista logo depois do título da Copa do Brasil, o goleiro Fernando Prass desaprovou a atitude do atacante, que fez uma careta depois de um gol marcado em um dos jogos entre os times. De acordo com o arqueiro, os palmeirenses acertaram ao devolver a provocação durante a comemoração do título, ainda no gramado do Allianz Parque.

"Sem dúvidas. É a lei da física: toda ação tem uma reação. Ele teve uma atitude, que diz ele que não era para mim, mas a gente sabe que não. Ele não quis assumir. Mas tudo bem. Faz parte do futebol. Quem pode mais chora menos", afirmou Prass.       
Para o goleiro, rivalidade existe entre todos os times e descartou uma rixa direta com Prass. "Não tenho rivalidade com ele. Minha rivalidade é com todos os adversários que vestem uma camisa que não é a do Palmeiras", disse o goleiro.  
Durante as férias, os dois chegaram a se encontrar na fila do banco. A relação, por sua vez, foi amistosa."Eu estava no banco com minha filha e o Ricardo estava na fila também. Conversamos normalmente. Não sou amigo do Ricardo, não conheço ele, mas respeito é normal", ressaltou em entrevista ao SporTV.

Já Ricardo vê no clássico uma chance de dar a volta por cima depois de o Santos perder o título nacional para o Palmeiras nos pênaltis -- naquela partida, o atacante marcou o único gols santista da partida e ainda converteu sua cobrança.

"De ruim não tenho lembrança nenhuma (do Palmeiras). Temos grande oportunidade contra um grande adversário de apresentar a nossa melhor versão como equipe. Essa é a coisa boa. Trabalhamos em cima daquilo que não podemos fazer e sabemos da qualidade do adversário de sábado", completou.



Fonte: Uol
Horário de verão acaba à meia-noite.



O horário de verão 2016 brasileiro termina à 0h deste domingo (21), ou seja, à meia-noite deste sábado (20). Os moradores de dez Estados e do Distrito Federal terão que atrasar uma hora no relógio quando bater 23h59.Três regiões brasileiras tiveram o horário alterado pela medida: Sudeste, Sul e Centro-Oeste.
Os Estados são: Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal. O horário especial começou à meia-noite do dia 18 de outubro de 2015.   
A função do horário de verão é reduzir a demanda máxima do Sistema Interligado Nacional no período em que mais pessoas, empresas e indústrias usam a energia elétrica.




Fonte: R7

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Aninha de Ilo afirma na câmara de vereadores que agora faz parte da oposição em Tangará.


Aninha de Ilo aproveitou a primeira sessão do ano na Câmara Municipal de Vereadores de Tangará para comunicar que agora faz parte da oposição, ela e seu esposo Ilo Marinho deixaram de fazer parte do grupo político do ex-prefeito Gija e aderiram ao grupo político do Pré-candidato a prefeito Jorginho Bezerra.

Em seu discurso aninha disse:

“Estou fazendo parte da oposição porque quero fazer o melhor para o povo e o melhor para o povo é votar 22, se referindo ao bloco da oposição, liderado pelo ex-prefeito Jorginho.”

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Diminui a diferença entre jovens ricos e pobres que concluem o ensino médio.


Em dez anos, Brasil diminui diferença entre jovens mais ricos e mais pobres que concluem o ensino médio. Em 2005, 18,1% dos jovens de 19 anos entre os 25% mais pobres da população concluíam o ensino médio. Entre os 25% mais ricos, a porcentagem chegava a 80,4%, existindo uma diferença de 62,3 pontos percentuais entre os dois grupos. Em 2014, último dado disponível, o cenário mudou. Entre os mais pobres, 36,8% concluíam o ensino médio e, entre os mais ricos, 84,9%. A diferença entre os dois grupos ficou em 47,8 pontos percentuais.
Os dados são de levantamento divulgado hoje (18) pela organização não governamental Todos Pela Educação, feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa tem como objetivo monitorar a Meta 4 da entidade, que estabelece que 90% ou mais dos jovens brasileiros de 19 anos deverão ter completado o ensino médio até 2022. Essa meta também monitora a conclusão do ensino fundamental até os 16 anos, estabelecendo o objetivo de que 95% dos jovens tenham completado este ciclo escolar até 2022.
"A perspectiva é redução de desigualdades. Esse dado é positivo. O Brasil está aumentando os índices e reduzindo as desigualdades", diz a superintendente do Todos Pela Educação, Alejandra, Meraz Velasco, que pondera que o país ainda apresenta desigualdades que precisam ser enfrentadas. 

Ensino fundamental    

 

A redução das diferenças entre os mais pobres e mais ricos ocorre também no ensino fundamental.  Em 2005, dos jovens de 16 anos entre os 25% mais pobres da população, 38,8% concluíram o ensino fundamental. Entre os 25% mais ricos, a porcentagem era 90%. A diferença entre os dois grupos era 51,2 pontos percentuais. Em 2014, entre os mais pobres a taxa de conclusão saltou para 62,7% que concluíram o ensino fundamental e, entre os mais ricos, 92,2%, uma diferença de 29,5 pontos percentuais. 

De modo geral, os dados mostram que, nos últimos dez anos, o Brasil avançou 15,4 pontos percentuais na taxa de conclusão do ensino médio dos jovens de até os 19 anos. O percentual de concluintes passou de 41,4% em 2005 para 56,7% em 2014. Em números absolutos, isso significa que, nesse intervalo de tempo, os estudantes concluintes passaram de 1.442.101 para 1.951.586.     
No ensino fundamental, a taxa de conclusão cresceu na mesma proporção que o ensino médio: quase 15 pontos percentuais, aumentando de 58,9% em 2005 para 73,7% em 2014. Passou de 2.106.316 concluintes em 2005 para 2.596.218, em 2014.

Desigualdades      

No ensino médio, entre os grupos de jovens por raça/cor, o maior avanço registrado na década está entre a população parda, cuja taxa de conclusão aos 19 anos aumentou 19,8 pontos percentuais. Entre os pretos, o crescimento foi 17,1 pontos percentuais, enquanto os brancos apresentam 12,3.   
No ensino fundamental, também houve queda na diferença. Entre os pardos, houve um aumento na conclusão da etapa de ensino de 20 pontos percentuais em dez anos. Entre os pretos, 18,2 pontos percentuais e, entre os brancos, 10,7.
Apesar das melhorias, as populações pardas e pretas ainda concentram os maiores percentuais de estudantes que não concluíram as etapas de ensino nas idades monitoradas. No ensino fundamental, em 2014, 82,9% dos brancos haviam concluído com 16 anos a etapa, enquanto 66,4% dos pretos e  67,8% dos pardos atingiram o mesmo patamar. No ensino médio, 66,6% dos brancos com 19 anos concluíram a escola. Entre os pretos o percentual foi 46,9% e, entre os pardos, 50,1%.      
Na avaliação de Alejandra, o país ainda está distante de cumprir, em 2022 a meta estabelecida pela entidade, de que pelo menos 90% dos jovens brasileiros de 19 anos tenham o ensino médio concluído. "Como em outros indicadores de educação, observamos melhorias, destacamos melhorias, mas o Brasil não está melhorando a educação em um ritmo que a gente esperava", diz.

 

Onde estão os jovens? 

 

Quase um quarto dos jovens de 19 anos não estuda e nem trabalha, segundo o estudo, a chamada "geração nem nem". A porcentagem tem se mantido mais ou menos constante. Em 2005, eram 23,1% e, em 2013, a porcentagem subiu para 25,7%. Em 2014, houve uma queda, para 24,5% dessa população. Isso significa que 842.217 jovens estão nessa situação no Brasil.       

Aos 16 anos, a porcentagem de "nem nem" é menor, era 11,2% em 2005 e caiu para 10,5% em 2014, o que corresponde a 370.633 adolescentes que não estão na escola e nem trabalhando. Mais 244.232 (6,9%) só trabalham. 


"Sem dúvida isso é preocupante e passa pela necessidade de reestruturação do ensino médio. Muito do aumento de quem não frequenta a escola é devido ao desinteresse no ensino médio", avalia Alejandra. A partir desse ano, o ensino até os 17 anos passa a ser obrigatório no Brasil, como prevê a Emenda Constitucional 59/2009 e o Plano Nacional de Educação (PNE). Para Alejandra, isso deve se refletir nos indicadores futuros.

Fonte: Agência Brasil