Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Um em cada quatro brasileiros é hipertenso, mostra pesquisa.


Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome uma média de 12 gramas de sódio todos os dias, quase o dobro do recomendado pela OMS Imagem de Arquivo/Agência Brasil


O Ministério da Saúde divulgou hoje (29) que um em cada quatro brasileiros é diagnosticado com hipertensão. Apesar de ser considerado alto, o índice tem se mantido estável, de acordo com dados da pesquisa Vigitel 2015. No ano passado, a doença afetava 24,9% da população, sendo que, em 2014, esse percentual foi de 24,8%. A doença atinge mais as mulheres e o número de casos cresce conforme aumenta a idade da população.
A Vigitel é uma pesquisa feita nas capitais brasileiras por telefone; em 2015, 54 mil pessoas maiores de 18 anos foram entrevistadas. Entre as cidades pesquisadas, o Rio de Janeiro apresenta o maior número de hipertensos, com 30,6% da população, e Palmas (TO) tem o menor índice, com 15,7%.
De acordo com a pesquisa, grande parte dos brasileiros não acredita que consome muito sal. Apenas 14,9% da população consideram seu consumo de sal alto ou muito alto, entretanto mais de 70% consomem sódio em excesso. Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome uma média de 12 gramas de sódio todos os dias. O valor é quase o dobro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde, de menos de 5 gramas por dia.
Os dados do Vigitel foram apresentados hoje, durante a divulgação dos resultados do acordo de redução de sódio em alimentos processados, firmado entre o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação. Desde 2011, foram retiradas 14.893 toneladas de sódio dos produtos alimentícios. A meta é que as indústrias promovam a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal das prateleiras até 2020.
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, destacou, entretanto, que 75% do consumo de sódio no país estão associados à quantidade de sal adicionado pelos consumidores na preparação e no consumo dos alimentos. “Alguns países já proibiram saleiro na mesa dos restaurantes. Precisamos alertar para que as pessoas cooperem com a redução do consumo de sal”, disse.
Apesar de o índice de pessoas com hipertensão ter se mantido estável, houve redução de 33% na taxa de internações pela doença, passando de 61 para 41 internações por 100 mil habitantes. “Isso aconteceu em função de uma ação conjunta da saúde, acesso a medicamentos, redução de sódio e cuidado das próprias pessoas em fazer exercícios físicos. Tudo isso faz parte dos resultados e há comprovada relação entre consumo de sódio e hipertensão”, afirmou.
Segundo o ministério, o consumo excessivo de sódio é fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, que atualmente respondem por 72% das mortes no Brasil, como hipertensão, obesidade, osteoporose e problemas renais.




Fonte: Agência Brasil

Desemprego chega a 11,2% no trimestre e atinge 11,4 milhões de pessoas.






A taxa de desemprego no Brasil, medida pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, ficou em 11,2% no trimestre encerrado em maio deste ano. Ela é superior aos 10,2% de fevereiro e aos 8,1% do trimestre encerrado em maio de 2015, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado é o mais alto da série histórica iniciada em março de 2012 e o mesmo do trimestre encerrado em abril deste ano
A população desempregada é de 11,4 milhões de pessoas, 10,3% (ou 1,1 milhão de pessoas) a mais do que o trimestre encerrado em fevereiro e 40,3% (ou 3,3 milhões de pessoas) a mais do que no trimestre encerrado em maio de 2015.
A população ocupada (90,8 milhões de pessoas) manteve-se estável em relação a fevereiro de 2016. Já em relação a maio de 2015, houve um recuo de 1,4%, ou seja, menos 1,2 milhão de pessoas. Já os empregos com carteira assinada no setor privado apresentaram quedas de 1,2% em relação a fevereiro e de 4,2% na comparação com maio do ano passado.


Queda

Analisando-se a população ocupada nos grupamentos de atividades, na comparação com fevereiro, houve queda nos postos de trabalho na construção (-2,9%) e da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-1,7%). Segundo a pesquisa do IBGE, houve crescimento de pessoas ocupadas na administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (1,8%). Os outros sete se mantiveram estáveis.
Na comparação com maio de 2015, houve recuo nos contingentes de trabalhadores da indústria geral (-10,7%) e informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (-8,6%).
Mas o estudo detectou aumento dos postos de trabalho nos serviços domésticos (6,5%), transporte, armazenagem e correio (5,5%), comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (5,5%), e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (2,5%).






Fonte: Agência Brasil
CBF anuncia seleção olímpica com Neymar, Prass e Douglas Costa.


A CBF anunciou hoje os nomes que vão integrar a seleção masculina olímpica. Entre os 18 jogadores estão Neymar, Fernando Prass eDouglas CostaArquivo/Agência Brasil



O técnico Rogério Micale anunciou hoje (29) os 18 jogadores que integrarão a equipe brasileira de futebol masculino que disputará os Jogos Olímpicos Rio 2016. Doze jogadores atuam no futebol brasileiro e seis jogam em times europeus. Os nomes foram divulgados hoje na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro.
Os goleiros convocados são Fernando Prass, do Palmeiras, e Uilson, do Atlético Mineiro. Para as laterais, Micale convocou William (Internacional), Douglas Santos (Atlético Mineiro) e Zeca (Santos). Na zaga, estão Rodrigo Caio (São Paulo), Luan (Vasco da Gama) e Marquinhos (Paris Saint Germain).
Para o meio de campo, foram convocados Thiago Maia (Santos), Rodrigo Dourado (Internacional), Fred (Shaktar Donetsk), Rafinha Alcântara (Barcelona) e Felipe Anderson (Lazio). No ataque, figuram Neymar (Barcelona), Douglas Costa (Bayern de Munique), Luan (Grêmio), Gabriel Barbosa (Santos) e Gabriel Jesus (Palmeiras).
A estreia do Brasil será contra a África do Sul, no dia 4 de agosto, às 16h, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. No dia 7, às 22h, a seleção enfrenta o Iraque, no mesmo local. A seleção encerra sua participação na primeira fase no dia 10, às 22h, em um jogo contra a Dinamarca, no Estádio Fonte Nova, em Salvador.




Fonte: Agência Brasil
Senado deve votar em julho mudanças na Lei Maria da Penha.



A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou hoje (29) o projeto que altera a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) para permitir aos delegados de polícia conceder medidas protetivas de urgência a mulheres vítimas de violência doméstica e a seus dependentes, atribuição antes restrita somente ao Judiciário. Com as alterações, o projeto entra na pauta do plenário da Casa ainda no mês de julho.
Segundo o projeto, originário da Câmara, de autoria do deputado Sergio Vidigal (PDT-ES), os delegados só poderão atuar, em caso de risco real ou iminente à vida ou à integridade física e psicológica da mulher e de seus dependentes. “Nessa hipótese, a autoridade policial poderá aplicar as medidas protetivas, mas assumindo a responsabilidade de comunicar a decisão ao juiz em até 24 horas, para que ele possa manter ou rever essa intervenção.”  A medida, porém, terá que ser referendada posteriormente, complementada ou revogada pela autoridade judicial a posteriori e a qualquer tempo. O texto também determina que o Ministério Público também deverá ser consultado sobre a questão no mesmo prazo.
Uma das medidas é a proibição do agressor de se aproximar, de ter contato e de frequentar determinados locais a fím de preservar a integridade física e psicológica da vítima, de seus familiares e das testemunhas. Os delegados também poderão tomar providências complementares para proteção da vítima como o pedido de prisão do agressor, após pedido encaminhado ao juiz.
O texto foi relatado na CCJ pelo senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), que referendou as propostas aprovadas na Câmara. Ao justificar a medida, o senador disse que a intenção é qualificar o atendimento a mulheres vítimas de violência  e também evitar situações de revitimização.  “Tudo de maneira a repelir a “peregrinação” da vítima pelas instituições de persecução penal, as perguntas indiscretas e os juízos de valor, os quais somente contribuem para validar o sofrimento da vítima”, disse Aloysio Nunes.
Como exemplo, o senador relatou uma situação investigada pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Violência contra a Mulher. Segundo o relatório final da comissão, a aplicação das medidas protetivas de urgência no Estado do Acre demorava de um a seis meses, o que se demonstrava incompatível com as necessidades da vítima.
O texto aprovado na CCJ  reforça a necessidade de os estados e o Distrito Federal darem prioridade, no âmbito de suas políticas públicas, à criação de delegacias especializadas no atendimento à mulher e de núcleos de investigação voltados ao crime de feminicídio. O projeto também diz que a vítima tem direito de ser atendida por policial especializado, preferencialmente do sexo feminino.

“Essa é uma evolução necessária do atendimento à vítima de violência doméstica. Sob o ponto de vista psicológico, a vítima se sentirá mais segura em narrar o seu caso para outra mulher. Na prática, essa tão singela alteração administrativa pode significar a não revitimização, pois há relatos de mulheres que são ridicularizadas pelos policiais quando tentam registrar a ocorrência”, diz a justificativa do projeto.






Fonte: Agência Brasil
IBGE terá nova data para devolver taxa de inscrição de concurso cancelado.



O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comunicou nesta quarta-feira (29) um novo período para a devolução das taxas pagos pelos candidatos que se inscreveram para concorrer a uma das 1.409 vagas temporárias destinadas ao Censo Agropecuário. Agora, o candidato pode pedir o ressarcimento a partir de 1º de julho. O valor das inscrições era de R$ 35 a R$ 120.
Para efetuar o saque, o candidato deverá ir pessoalmente ao caixa de qualquer agência do Banco do Brasil entre os dias 1º e 14 de julho, levando o documento de identidade e o CPF originais. Segundo o IBGE, é preciso informar que se trata de uma ordem de pagamento em favor do candidato.
Inicialmente, o IBGE tinha liberado o ressarcimento entre 1º e 14 de junho. O concurso foi suspenso em abril.
O concurso, que recebeu cerca de 124 mil inscrições, foi cancelado por conta do corte no orçamento do instituto, que inviabiliza a realização do censo agropecuário, que estava previsto para 2017. O orçamento para a pesquisa, que era de R$ 330.800.000,00 no Projeto de Lei Orçamentária, foi reduzido para R$ 266.856.444 na Lei Orçamentária aprovada pelo Congresso em janeiro.
O concurso previa 1.409 vagas temporárias com salários de R$ 1.560 a R$ 7.166. Entre elas, 223 vagas para analista censitário (AC), 700 para agente censitário administrativo (ACA), 486 para agente censitário regional (ACR).


Autorização para até 82,2 mil vagas



O IBGE foi autorizado a contratar até 82.203 profissionais para atuar no Censo Agropecuário. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou a realização do processo seletivo por meio da portaria nº 571 publicada no "Diário Oficial da União", em dezembro do ano passado.
Segundo o documento, as oportunidades seriam para analista censitário (223), agente censitário regional (486), agente censitário administrativo (700), agente censitário municipal (5.500), agente censitário supervisor (12.540), agente censitário informativo (174) e recenseador (62.400). O nível de escolaridade dos cargos não foi divulgado.


7.825 vagas



Atualmente, o IBGE está com as inscrições abertas para 7.5825 vagas em cargos de níveis médio e superior. Os salários chegam a R$ 4.600. As inscrições podem ser feitas até o dia 19 de julho pelo site www.cesgranrio.org.br.





Fonte: G1

Temer concede reajuste de 12,5% no Bolsa Família.


Orçamento será ajustado para conceder aumento ao Bolsa Família (Agência Senado).
O presidente interino Michel Temer anuncia no fim da manhã desta quarta-feira (29) reajuste de 12,5% no Bolsa Família. Além disso, ele também liberou R$ 740 milhões para Estados e municípios investirem na educação básica. 
O comunicado foi feito no fim da manhã, em cerimônia no Palácio do Planalto. O aumento concedido por Temer é maior do que os 9% prometidos pela presidente Dilma Rousseff, no dia 1º de maio, antes de ser afastada no processo de impeachment. 
Em discurso, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, alfinetou a petista. 

— Nós pretendemos, apesar das críticas que recebemos, mostrar que é uma prioridade do governo a questão social, que essa prioridade se reflete em uma ação concreta e não em um discurso [em que Dilma prometeu o reajuste], como foi feito pelo governo passado. A partir do mês que vem já começa a ser pago.

A equipe de Temer tem uma preocupação especial em identificar fraudes ou distorções no recebimento do Bolsa Família. Logo após ter assumido, ele já prometeu uma auditoria nos programas socais.
Atualmente, o programa contempla cerca de 14 milhões de famílias. O governo gasta, em média, R$ 2,3 bilhões por mês com o projeto de transferência de renda, com o valor médio de R$ 163,57 por família.
Temer tem como prioridade o suporte aos 5% mais pobres da população, cerca de 10 milhões de brasileiros. Ele quer focar os esforços em elevar o padrão de vida dessa parcela da sociedade, algo que foi criticado por Dilma Rousseff.

 





Fonte: R7

Pagamento de junho de servidores do RN começa dia 5, diz Governo.





A Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan) anunciou nesta terça-feira (28) que o pagamento dos salários de junho dos servidores do Rio Grande do Norte começa no próximo dia 5. O calendário completo de pagamento não foi divulgado.
De acordo com a Seplan, o governo aguarda a informação referente aos recursos do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para anunciar o calendário completo de pagamento.
As mudanças nos pagamentos dos servidores estaduais começou em dezembro de 2015. De lá pra cá, o governo anuncia as datas de pagamentos nos últimos dias do mês. Os salários de janeiros foram pagos nos dias 4 e 5 de fevereiro.       
Os vencimentos de fevereiro foram depositados nos dias 3 e 4 de março. E os pagamentos referentes ao mês de março foram realizados nos dias 4 e 5 de abril. Já os salários de abril foram pagos nos dias 6, 9 e 10 de maio. O pagamento de maio foi feito de 6 a 11 de junho.







Fonte: G1 RN
Ministério reconhece emergência pela seca em 153 cidades do RN.

Equador é uma das cidades em situação de emergência por causa da seca (Foto: Anderson Barbosa/G1)

O Ministério da Integração Nacional reconheceu situação de emergência por causa da seca em 153 municípios potiguares. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (28). Confira AQUI os municípios que integram a lista. De acordo com a Companhia de Águas e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern), atualmente 14 municípios estão em colapso no abastecimento de água e outros 77 estão sob sistema de rodízio.
O governo do Rio Grande do Norte renovou a  situação de emergência por mais 180 dias no dia 22 de março deste ano. O estado enfrenta a maior seca dos últimos cem anos. Dentre os prejuízos causados pela seca, o estado ressalta a perda de mais de 135 mil cabeças de gado de 2012 a 2015. Já no período entre 2012 e 2014, ainda segundo o documento, houve uma redução de 65,79% na produção de grãos (milho, arroz, feijão e sorgo).
Com a portaria que reconhece a situação de emergência, o Governo Federal pode repassar recursos públicos aos municípios atingidos pela seca com mais rapidez e menos burocracia.




Fonte: G1 RN

terça-feira, 28 de junho de 2016

A câmara municipal de Tangará teve mais uma sessão movimentada.




Nessa segunda-feira (27), tivemos mais uma sessão movimentada na câmara de vereadores de Tangará. O que não foi apresentado durante todo o mandado do prefeito Acimar Germano, foi envidado a câmara de vereadores para ser aprovado na última sessão legislativa de 2016, antes do recesso.
Foi encaminhado a casa legislativa, um projeto para aumentar o salário dos motoristas para o valor de 1.320 reais (Pagamento a partir de Janeiro de 2017), um projeto para aumentar o salário dos conselheiros tutelares para o valor de 1.300 reais (Pagamento a partir de Janeiro de 2017), um projeto para autorizar a realização de um novo concurso público (70 vagas) e a gestão também solicitava a autorização da câmara, para o gestor municipal realizar o parcelamento das dívidas previdenciárias.
A equipe do Prefeito Alcimar foi toda organizada para a câmara de vereadores na tentativa de pressionar os vereadores a aprovarem dois dos projetos de interesse da gestão, são eles: Projeto para a realização de um novo concurso público e a autorização da câmara para o prefeito parcelar as dívidas previdenciárias. A todo momento a equipe que tinha total interesse na aprovação do concurso público tentava tumultuar a sessão. Por fim, o vereador Ricardo Vicente pediu para que esses projetos fossem enviados para a comissão.
A sessão da câmara voltou a ficar tranquila depois do pronunciamento do vereador Nilson Lima (Líder da situação), ao terminar seu discurso o vereador deixou a casa legislativa, não querendo ouvir os demais oradores e a equipe do prefeito Alcimar o acompanhou.
Os vereadores que estiveram presentes na sessão foram, Aninha de Ilo, Maria de Erociano, Maria Auxiliadora, Ana de Aluizio, Ricardo Vicente, Antônio Custódio, Wilson Fonseca e Nilson Lima.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Caruaru anula pagamento do cachê de Wesley Safadão no São João 2016.


Cantor Wesley Safadão se apresentou em Caruaru no sábado (25)  (Foto: Divulgação/Ederson Lima - Assessoria/Arquivo)

A Prefeitura de Caruaru anulou nesta segunda-feira (27) o pagamento do cachê de R$ 575 mil do cantor Wesley Safadão, que realizou show no sábado (26) durante o São João 2016 do município.Durante a apresentação, o cantor afirmou que iria doar o dinheiro para instituições de caridade do município. A decisão dele ocorreu após questionamentos sobre o valor pago ao artista, que chegou a ter a apresentação suspensa por decisão judicial.
Nesta segunda-feira (27), a Fundação de Cultura informou por meio de nota que o empenho do pagamento foi cancelado e que os patrocinadores do artista vão arcar com o cachê.
A assessoria do artista confirmou ao G1 que Wesley Safadão vai receber o valor e que os R$ 575 mil não serão pagos pela prefeitura, mas pelos patrocinadores do cantor. A decisão de doar o dinheiro permanece, conforme anunciado por Wesley no show.


Portal da Transparência de Caruaru mostra anulação do cachê de Wesley Safadão (Foto: Reprodução/Portal da Transparência)








Fonte: G1 Caruaru
Restam quatro dias para sacar o abono de R$ 880 do PIS.

Prazo para sacar os R$ 880 do PIS termina na quinta-feira (Jacques Lepine/AE).
O prazo para resgatar o PIS termina na quinta-feira (30). Cerca de 1,6 milhão de trabalhadores ainda não retiraram o dinheiro, segundo o Ministério do Trabalho.
        O valor do abono salarial corresponde a R$ 880. Têm direito ao benefício os trabalhadores cadastrados no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos e que tenham recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos, e exercido atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2014.




Fonte: R7

sábado, 25 de junho de 2016

Vigente há dois anos, Plano Nacional de Educação não saiu do papel.




As metas assumidas para 24 de junho de 2016, no Plano Nacional de Educação (Lei 13.005/14), praticamente não saíram do papel:


- Metade da população infantil de até três anos de idade deveria estar em creches, mas temos 2,5 milhões de crianças sem tal atendimento.
- Este ano, todas as crianças entre 4 e 5 anos deveriam estar na pré-escola, mas ainda há 700 mil crianças não matriculadas.
- Em 2016, 100% dos jovens entre 15 e 17 anos deveriam estar cursando o ensino médio; no entanto, 1,6 milhão desses jovens estão fora da escola. É a futura “geração nem-nem”: os jovens entre 18 e 25 anos que nem estudam nem trabalham, e são 20% da população brasileira dessa faixa etária.


A meta 15 previa o início de uma política nacional de formação docente. Apesar disso, até o momento só 32,8% dos mestres dos anos finais do ensino fundamental têm licenciatura na área em que atuam e 25% dos professores da educação básica não têm curso superior.    
O monitoramento dos avanços deveria ser reportado periodicamente na internet, pelo MEC, mas nenhuma satisfação foi dada à sociedade.    
É claro que a crise econômica e a turbulência política mudaram as prioridades e a educação, mais uma vez, ficou em segundo plano. Mas a letargia na passagem dos planos à ação indica também falhas graves na gestão da área educacional. Não é raro, que na educação pública, se façam reuniões e comissões nos âmbitos municipal, estadual e federal, gastando um tempo valioso para redigir planos que, pouco depois, caem no esquecimento.
Há saídas: em primeiro lugar, os planos precisam ser elaborados com as ferramentas básicas da gestão contemporânea: o cronograma de ações, a divisão de responsabilidades, o estudo de alocação das verbas, os indicadores de controle e avaliação. Além disso, é preciso que a educação seja entendida de uma vez por todas como prioridade e que haja continuidade nas políticas, em vez de cada governo começar do zero. Se não for assim, poderão entrar e sair os presidentes, oficiais ou interinos, mas a mudança não sairá do papel.






Fonte: G1
Lâmpadas incandescentes não poderão ser vendidas no Brasil a partir do dia 30.


Vendas de lâmpadas incandescentes estarão proibidas a partir do
dia 30 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
A partir da próxima quinta-feira (30), as lâmpadas incandescentes não poderão mais ser vendidas no Brasil. As alternativas para os consumidores são as lâmpadas fluorescentes ou as de LED que, apesar de mais caras, consomem menos energia e duram mais.
Uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75%, se comparada a uma lâmpada incandescente de luminosidade equivalente. E se a opção for por uma lâmpada de LED, essa economia sobe para 85%. A durabilidade da LED é 25 vezes superior às lâmpadas incandescentes e até quatro vezes maior que as lâmpadas fluorescentes.
Para o diretor técnico da Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux ), Isac Roizenblatt, vale a pena investir em lâmpadas mais modernas, porque o retorno financeiro é grande. “O que custa pesado para os consumidores não é o preço da lâmpada de fato, é o preço da energia ao longo do tempo. Então, esse investimento retorna rapidamente”, avalia.
Enquanto uma lâmpada incandescente de 60 watts custava em média R$ 2,90, uma equivalente de LED custa em torno de R$ 8,90. Segundo a Abilux, o preço da lâmpada de LED vem caindo cerca de 30% por ano no Brasil.
Roizenblatt também aponta que as lâmpadas incandescentes emitem 95% de calor e apenas 5% de luz, o que prejudica o meio ambiente. “É uma lâmpada que tem baixíssima eficiência e vida curta”, explica. Segundo ele, a melhor opção é usar as lâmpadas LED, que são mais eficientes e não contêm metais pesados, como as fluorescentes, que têm mercúrio em sua composição. O uso de lâmpadas LED já é adotado amplamente em outros países como China, Índia, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, Cuba, Austrália, Argentina, Venezuela e na União Europeia.
A troca das lâmpadas incandescentes no Brasil começou em 2012, com a proibição da venda de lâmpadas com mais de 150W. Em 2013, houve a eliminação das lâmpadas de potência entre 60W e 100W. Em 2014, foi a vez das lâmpadas de 40W a 60W, e o processo de substituição acaba no dia 30 junho deste ano, com a proibição das lâmpadas com potência inferior a 40W. A partir dos prazos finais estabelecidos, fabricantes, atacadistas e varejistas serão fiscalizados. Os estabelecimentos, importadores e fabricantes serão fiscalizados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), e quem não atender à legislação poderá ser multado.
Segundo a Abilux, se todas as lâmpadas do país fossem substituídas por LED, haveria uma redução de cerca de 10% no consumo de energia elétrica. “Não só o cidadão ganha quando usa uma lâmpada mais moderna, mas o país ganha porque transfere investimentos em geração e distribuição de energia. A diferença de eficiência é tão grande que reflete em todo o país porque não existe lugar onde não se usa uma lâmpada, em ambientes externos e internos. Então, vale a pena”, diz Roizenblatt. Segundo dados da ONU, a substituição das lâmpadas incandescentes no mercado é capaz de economizar anualmente cerca de 5% de toda a energia elétrica utilizada no mundo.
Nas lojas de Brasília, já é difícil encontrar lâmpadas incandescentes para vender, embora ainda haja procura dos consumidores. “Algumas pessoas ainda procuram, se tivéssemos ainda em estoque, com certeza venderíamos”, diz o gerente de vendas de uma loja da capital, Sebastião Pereira Costa.
Segundo ele, as pessoas procuram porque gostam da cor da luz incandescente e não se acostumam com a luz emitida pelas lâmpadas LED. “A qualidade da luz incandescente ainda é a melhor, apesar de ter um maior consumo de energia, esquentar muito e durar pouco”, diz. De acordo com o gerente, existem hoje no mercado opções de lâmpadas LED com luminosidade amarelada, parecida com as incandescentes.







Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 24 de junho de 2016

COPA INTERNA DA 'SEI' RETORNA EM 2016.





Fonte : Blog Sei Tangará
Estudantes poderão testar conhecimentos em simulado nacional do Enem.



A partir deste fim de semana, estudantes de todo o país poderão fazer gratuitamente um simulado online do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na plataforma Hora do Enem. As provas serão liberadas às 8h de amanhã (25) e poderão ser acessadas até as 20h do dia 3 de julho.
Para acessar a prova, basta se cadastrar no site da Hora do Enem. Os alunos da rede pública que não tiverem acesso à internet poderão realizar o simulado na escola onde estudam, entre os dias 27 de junho e 1º de julho. Após o simulado, o estudante recebe imediatamente a nota que tirou. O resultado mostrará também o desempenho do aluno em relação a outros candidatos ao curso que pretende fazer.


“Convoco todos os jovens do Brasil que estão se preparando para o Enem a participar do segundo simulado, agora em junho. É uma ótima oportunidade para se preparar”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho.


Este será o segundo simulado online para o Enem. Até a prova, dias 5 e 6 de novembro, serão disponibilizados pelo menos mais três testes, em agosto e outubro. Os últimos simulados serão no mesmo formato do Enem e terão dois dias de duração. Não haverá simu
Mais de 710 mil estudantes de todo o país fizeram o primeiro simulado nacional do Hora do Enem, realizado entre os dias 30 de abril e 1º de maio, e repetido entre os dias 7 e 8 de maio. Pelo menos 85% dos participantes estudam na rede pública de ensino.
Realizado pelo Ministério da Educação em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Hora do Enem oferece aos alunos cadastrados uma plataforma de estudos personalizada. Além dos simulados, os estudantes têm acesso a ferramentas como testes de nivelamento em diferentes matérias, videoaulas, exercícios comentados por professores e possibilidade de criar um cronograma de estudos online. As aulas podem ser acessadas na plataforma Mecflix.
Desenvolvida pela Geekie Games, a plataforma também está disponível na Google Play para download em smartphones Android.


As provas


O Enem de 2016 será nos dias 5 e 6 de novembro. A nota do exame é usada na seleção para vagas em instituições públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), bolsas na educação superior privada por meio do programa Universidade para Todos (ProUni) e vagas gratuitas nos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).
O resultado do exame também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e participar do programa Ciência sem Fronteiras. Para maiores de 18 anos, o Enem pode ser usado como certificação do ensino médio.






Fonte: Agência Brasil
Brasil fecha 72.615 vagas de trabalho formais em maio, diz ministério.



As demissões de trabalhadores com carteira assinada em maio superaram as contratações resultando no fechamento de 72.615, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho.
Entre janeiro e maio, o país perdeu 448.101 vagas de trabalho. Trata-se do pior resultado para o período desde o início da série histórica, que começa em 2002.
Maio foi o décimo quarto mês seguido de fechamento de vagas com carteira assinada. O último mês com contratações acima das demissões foi março do ano passado, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.
Apesar de negativo, o resultado do mês passado foi menos ruim do que o registrado em maio de 2015, quando foram fechados 115.599 postos de trabalho - pior resultado para meses de maio desde o início da série histórica do indicador, em 1992.
No ano passado, foi a primeira vez que houve corte de vagas em um quinto mês do ano, o que se repetiu em 2016.
O crescimento do desemprego é consequencia da recessão que atinge a economia brasileira, a maior dos últimos 25 anos. No primeiro trimestre de 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) teve queda de 0,3% em comparação com os três meses anteriores.
Em 2015, o PIB encolheu 3,8% e, para este ano, a previsão do mercado financeiro é de um recuo de igual intensidade.


Acumulado


As 448.101 vagas formais de trabalho fechadas nos primeiros cinco meses do ano considera os valores ajustados (ou seja, contando com as declarações enviadas fora do prazo) de janeiro a abril, e o valor sem ajuste do mês de maio.
O resultado é o pior para o período desde o início da série histórica disponibilizada pelo Ministério do Trabalho, que, no caso de períodos acumulados, começa em 2002.
Antes disso, o pior resultado havia sido registrado no ano passado, quando, de janeiro a maio, foram fechados 243.948 postos com carteira assinada. Nos anos anteriores, o saldo acumulado é positivo - ou seja, houve mais abertura que fechamento de postos de trabalho.







Fonte: G1

Conta de luz continua sem taxa extra em julho, diz governo.

 

A diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) determinou nesta sexta-feira (24) a manutenção da bandeira tarifária verde para julho. Isso significa que não será cobrada taxa extra na conta de luz.
Desde janeiro de 2015, as contas passaram a ter uma cobrança extra, chamada de bandeira vermelha, para compensar gastos mais altos para gerar energia. Nos últimos meses, essa bandeira foi mudando de cor:


  • Até janeiro deste ano, a bandeira era vermelha e a taxa extra era de R$ 4,50 para cada 100 kWh consumidos;
  •  Em fevereiro, passou para bandeira "rosa" e a taxa caiu para R$ 3 para cada 100 kWh;
  •   Em março, a bandeira mudou para amarela e a taxa caiu para R$ 1,50 a cada 100 kWh;
  • Em abril, entrou em vigor a bandeira verde e a taxa extra deixou de ser cobrada

A taxa deixou de ser cobrada em abril depois que o governo federal autorizou o desligamento de usinas termelétricas, mais caras, devido à melhora na situação dos reservatórios das hidrelétricas. 

 

 

Pouca chuva, conta mais cara.



Quando há pouca chuva, o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas cai, o que diminui a produção de energia. Para compensar essa queda, o governo manda acionar usinas termelétricas, a carvão, que são mais caras. Foi o que aconteceu no país desde 2013.
Foi criada, então, a bandeira vermelha, essa cobrança extra na conta de luz para bancar esses custos maiores na produção de energia.
Neste ano, a situação melhorou: choveu mais e subiu o volume dos reservatórios das hidrelétricas. Além disso, o consumo das famílias e indústrias caiu, e novas usinas começaram a funcionar.
Mesmo assim, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pede que os consumidores façam o uso eficiente de energia elétrica e combatam os desperdícios.







Fonte:  Reuters (Via Uol)