Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

sábado, 1 de outubro de 2016



Com mortes de candidatos e insegurança, Forças Armadas atuarão em mais de 400 municípios do País.




Neste domingo (2), data em que ocorrem as eleições municipais em todo o País, ao menos 307 municípios de 12 estados vão receber agente das Forças Armadas para reforçar a segurança. Com casos de morte de candidatos — último registro ocorreu em Itumbiara, onde o ex-prefeito e candidato foi baleado e morte durante uma carreata —, ameaças e crise na segurança pública de algumas regiões, o TSE já analisou mais de 400 pedidos de reforço — e pode aprovar pedidos de apoio ainda hoje, ao longo do dia.
Além da atuação em segurança, agentes da Força Nacional também fazem o apoio logístico em 102 localidades de difícil acesso com o transporte de material e pessoal, como as urnas eleitorais e funcionários dos tribunais eleitorais. Ao todo, a Força Nacional atuará em 409 municípios de 14 estados. Em 2012, última eleição municipal, o reforço na área da segurança ocorreu em 395 municípios de 11 Estados e 76 municípios tiveram apoio logístico.
Um efetivo de 7.700 militares foi escalado para a Região Norte (Pará, Amapá, Amazonas, Tocantins e Roraima), e outros 5.300 devem dar apoio às eleições no Nordeste (Maranhão, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte). Para a Região Centro-Oeste (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), serão deslocados 2.300 militares.
Único Estado da região Sudeste que receberá reforço na eleição, o Rio de Janeiro deve contar com 6.500 militares em 11 municípios (Rio de Janeiro, Belford Roxo, Magé, Campos dos Goytacazes, São Gonçalo, Macaé, Queimados, Japeri, Nova Iguaçu, São João de Meriti e Duque de Caxias). Ao todo, 16 candidatos foram assassinados no estado do Rio de Janeiro nesta campanha eleitoral. A Polícia Civil investiga a atuação de grupos paramilitares, como as milícias, e o tráfico de drogas.
Para conseguir o apoio de segurança da Força Nacional, o TSE autoriza pedidos feitos pelos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) de cada Estado para “garantir o livre exercício do voto, a normalidade da votação e da apuração dos resultados”. Os pedidos devem ter uma justificativa que explique “o receio de perturbação dos trabalhos eleitorais”.








Fonte: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário