Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Estudantes com contrato do Fies já podem fazer renovação, diz FNDE.




Os estudantes que já têm contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) já podem fazer o aditamento dos contratos do segundo semestre. A renovação deve ser feita pela internet, por meio do Sistema Informatizado do Fies (SisFies). Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira (19), o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) afirmou que os estudantes têm até o dia 31 de outubro para validar as informações.
Cada contrato de financiamento deve ser renovado (ou aditado) a cada novo semestre. A validação de informações por parte dos estudantes, segundo o FNDE, é o último passo antes da formalização da renovação dos contratos. No dia 7 de outubro, o sistema foi aberto para que as instituições pedissem o aditamento. Até esta quarta, já foram requisitadas as renovações de mais de 750 mil contratos, afirmou o FNDE.
Segundo o presidente do fundo, Gastão Vieira, o aditamento está garantido para todos os estudantes que estão em situação regular no programa. "Todos os estudantes regulares com o programa poderão fazer os aditamentos, nem que tenhamos que prorrogar o prazo", disse ele.
Caso alguma cláusula do contrato precise ser alterada, como a mudança do fiador,, a validação das informações não poderá ser feita pelo SisFies. Esse caso é classificado pelo FNDE como "aditamento não simplificado". Para fazer esse tipo de aditamento, "o estudante precisa ainda levar a documentação comprovatória ao agente financeiro para finalizar a renovação", explica o órgão. Caso o aditamento seja simplificado, ou seja, o contrato não precise mudar, basta formalizar a renovação pelo sistema online.



Mais verba para o Fies



Na terça (18), o Congresso Nacional aprovou a liberação de R$ 702,5 milhões para o pagamento de taxas administrativas do Fies, o que, segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, permitirão a normalização de cerca de 1,5 milhão de contratos com instituições de ensino. Os pagamentos estavam com atraso de cerca de quatro meses.









Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário