Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

sábado, 11 de junho de 2016

Conselho de Ética votará na terça o relatório pela cassação de Cunha.



Depois de mais de sete meses de análise, o Conselho de Ética poderá votar, nesta terça-feira, dia 14 à tarde o relatório do deputado Marcos Rogério, do DEM de Rondônia, pela cassação do deputado afastado Eduardo Cunha, do PMDB fluminense, por quebra de decoro parlamentar.
Contada do pedido de cassação, a representação contra Cunha chegará na terça-feira ao marco de 245 dias. O processo mais longo da história do Conselho de Ética foi cheio de idas e vindas.
Para o presidente do colegiado, deputado José Carlos Araújo, do PR baiano, já não há mais o que adiar.
O deputado Aguinaldo Ribeiro, do PP paraibano, cobra uma solução para o impasse.
O voto da deputada Tia Eron, do PRB baiano, é um dos mais aguardados, pois poderá definir se o parecer será rejeitado ou não. Na última terça-feira, ela foi a única dos titulares da comissão a não comparecer.
Caso Tia Eron não vá à reunião, o direito ao voto passa ao primeiro suplente do bloco parlamentar que marcar presença. Entre os suplentes, há deputados a favor e contra a cassação de Cunha, o que pode gerar uma corrida para ver quem será o primeiro a chegar.
O deputado Nelson Marchezan Júnior, do PSDB gaúcho, espera que Tia Eron compareça.    
Em nota na última semana, a deputada Tia Eron não revelou seu voto; apenas enfatizou que não iria deixar de cumprir com seu dever.
O deputado Leo de Brito, do PT acreano, acusa o governo de pressionar Tia Eron para inocentar Eduardo Cunha.  
O Líder do Governo, deputado André Moura, do PSC de Sergipe, nega qualquer interferência da Presidência da República no Conselho de Ética da Câmara.
O embate sobre o destino de Eduardo Cunha também acontece na Comissão de Constituição e Justiça onde está em pauta o relatório do deputado Arthur Lira, do PP alagoano, que responde a consulta sobre o rito de cassação de parlamentares no Plenário da Casa.
Pelo relatório, caberá ao Plenário votar projeto de resolução elaborado pelo Conselho de Ética, em vez de um parecer, caso o colegiado decida sobre a cassação de mandato de parlamentar.
Já houve três reuniões para tentar analisar o texto, sem sucesso. Pelo menos quatro partidos - PT, PSDB, DEM e PCdoB - já declararam obstrução. Uma nova reunião está marcada, para esta terça-feira, dia 14 no mesmo horário do Conselho de Ética.







Fonte: Rádio Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário